Iniciando uma Rebelião #31 – s03e03 – The Antilles Extraction

Com a Rebelião necessitando desesperadamente de pilotos, Sabine vai disfarçada como uma cadete imperial para recrutar desertores – incluindo o confiável e talentoso Wedge Antilles.

Lembrando sempre que este review assume que você já viu o episódio ou que não se importa de ler spoilers.

Clique aqui para os episódios anteriores.

Nota  do M’Y: 6.0 (0 até 10)

Trilha Sonora: Wedge Can Fly Anything (Link)

Curiosidades:

  1. Durante o desenvolvimento inicial do episódio, ele se chamaria Darklighter e seria sobre Biggs Darklighter indo para a Rebelião, mas complicações de linha do tempo com A New Hope transformaram Wedge num candidato melhor. No vídeo Rebels Recon (ver fim da página), é mencionado que na primeira temporada Sabina tinha um padrão de xadrez na ombreira, assim como Biggs em A New Hope e eles começaram a brincar com a ideia de que ela teria pintado o capacete dele.
  2. O ícone com chifres no capacete de Vult Skerri pode ser visto nos andadores em The Empire Strikes Back, embora não apareça em Return of the Jedi. Ele aparece bastante no brinquedo original da marca Kenner.
  3. A menção de Ezra sobre já ter se infiltrado vem do episódio Breaking Ranks da primeira temporada. Aqui Ezra faz papel similar ao de Kanan naquele episódio, que é o de se preocupar com o infiltrador.
  4. Wedge Antilles e Derek “Hobbie” Klivian são pilotos vistos na trilogia clássica. Sabine não chega a saber o nome completo de Hobbie durante o episódio, por isso a pausa ao introduzi-lo ao Comandante Sato. O material Legends já mencionava que Hobbie, visto em TESB, era um ex-Imperial.
  5. Mais de um ano antes deste episódio, no livro Aftermath (Marcas de Guerra), foi dito que Wedge tinha conexão com Fulcrum. Na época, pensou-se que Wedge conhecia Ahsoka Tano, mas neste episódio descobrimos que Fulcrum não é um título apenas dela.
  6. Esse episódio foi escrito por Gary Whitta, que se juntou ao time de escritores de Rebels depois de ter escrito o filme Rogue One: A Star Wars Story. O nome que Sabine usa na academia, Ria Talla, foi usado inicialmente em Rogue One e descartado.
  7. A cena em que as asas dos TIE Fighters são retiradas foi inspirada pelos brinquedos da Kenner, que permitiam a saída das asas quando um botão era pressionado para que as crianças simulassem danos de batalha.
  8. Durante um período, o instrutor da Academia seria o Barão Valen Rudor, visto na primeira temporada em Lothal.
  9. Esse episódio é a estreia do TIE Interceptor na série. As linhas vermelhas são inspiradas no material Legends, denotando um caça de elite, similar ao utilizado pelo Barão Soontir Fel, um personagem dos quadrinhos e livros.
  10. Esse episódio também é a estreia do transporte rebelde visto primeiramente em The Empire Strikes Back. Durante as gravações do filme, os modeladores da ILM chamavam de “naves baleia”. O cockpit da nave em Rebels é uma remodelagem do modelo utilizado do ônibus estelar, visto na primeira temporada.
  11. Não é mencionado no site oficial, mas o nome da música deste episódio, Wedge Can Fly Anything, é claramente inspirado na faixa I Can Fly Anything, que serve como tema de Poe Dameron na trilha sonora de O Despertar da Força. A fala “eu posso voar qualquer coisa” de Poe é, inclusive, repetida por Wedge no final do episódio.

theyflyanything

They can fly anything!

O Episódio: Em uma missão para entregar comida em um planeta vigiado pelo Império, Teralof, as 6 A-Wings que acompanhavam o transporte imperial são derrotados por Vult Skerri e seu esquadrão de TIE Interceptors, que ainda destroem o transporte, apesar deste estar desarmado. Descobrimos logo em seguida que Fulcrum é um título dado a operadores da inteligência rebelde, sendo que Ahsoka era um deles – há no livro Ahsoka, que saiu recentemente nos Estados Unidos, o momento em que Ahsoka cria o nome junto com Bail Organa, pouco mais de um ano dentro do reinado de Palpatine. Este novo Fulcrum, ainda não nomeado, informa que na academia Skystrike existem pilotos que querem deixar o Império e querem ajuda para escapar, embora seus nomes não tenham sido revelados. Hera passa a missão para Sabine, o que deixa Ezra pouco confortável com a missão de ser a sombra de Sabine.

Logo que chega na Academia, Sabine tem problemas com o cartão de identificação de Ria Talla. A cena dela assoprando o cartão lembrou os mais velhos experientes da época que faziam o mesmo com cartuchos de Mega Drive ou Super Nintendo. Logo Wedge e Ria Talla se encontram em uma simulação contra 4 Y-Wings. Confesso que queria que nossos jogos de computador ou video game tivessem gráficos tão realistas!!! Wedge e Sabine falham quando são atacados pela Ghost e destruídos ao não atacarem um transporte que tinha se rendido.

A Governadora Pryce e o Agente Kallus chegam sabendo dos traidores e passam a investigar, enquanto Sabine escuta a conversa de Wedge com mais dois pilotos. Logo depois, descobrimos que Wedge era um piloto de cargueiro antes do Império o recrutar. Nesta conversa, Sabine se revela para Wedge e pede para ele preparar os outros pilotos, Rake e Hobbie.

Durante um exercício, Sabine contacta Ezra e Kanan para que eles apareçam e os 4 TIE Fighters saem da formação, se identificando como os desertores. Rake é morto durante a tentativa de escapar, pois as asas de seus TIE Fighters foram separadas à distância. Dos 3 sobreviventes, Sabine se identifica como a agente rebelde. Enquanto Wedge e Robbie são levados por Kallus, a mandalorian consegue escapar da governadora – não sem a ajuda involuntária do equipamento de tortura imperial.

Esperando que sejam Wedge e Hobbie sejam melhores pilotos do que são soldados, Sabine os resgata, apenas para dar de cara com Kallus. Lembram-se de quando Kallus e Zeb ajudaram um ao outro? Pois é, Kallus também lembra! Ele acaba deixando os 3 rebeldes escaparem para pagar sua dívida com o lasat. Os três vão para o hangar número 24 onde pegam um TIE Bomber. No que parece uma perseguição de um carro de Fórmula 1 a um VW Fusca 1966, Wedge, Sabine e Hobbie são salvos no último instante por Kanan e Ezra.

304-episode-gallery-reb_ia_17109_af2d51a2

Novo Fulcrum? Ou só pagando dívida?

Opinião do Jair Yoda: Este foi um episódio muito mais próximo do clima da primeira temporada do que da segunda temporada da série. Confesso que nas duas vezes que assisti tive certa dificuldade para me importar com os acontecimentos. Inclusive, na segunda vez, diminuí a nota de 7.0 para 6.0. Me parece haver uma necessidade de ligação com Wedge Antilles para que o episódio funcione e eu, particularmente, nunca tive tal ligação. Ezra Anakinzando também não me atrai em nada. A ajuda de Kallus é algo que já vinha sendo imaginada há um bom tempo por fãs no mundo todo. Tenho, inclusive, a sensação de que o Agente Kallus já é um Fulcrum. No final, o episódio ainda falhou em responder o que aconteceu ao planeta e os rebeldes conseguiram apenas 2 pilotos para substituir os 7 que morreram no início.

REBELS RECON #3.03