Iniciando uma Rebelião #22 – s02e15 – Homecoming

A galáxia muito, muito distante é muito, muito grande, mas isso não significa que a gente não encontre alguns conhecidos! Normalmente é bem mais divertido que achar aquele seu colega chato de 7ª série que  te zoava por ser nerd e agora trabalha no McDonalds. E depois de Bail e Leia Organa, C-3PO e R2-D2, Lando Calrissian, Hondo Onaka, Rex, Ahsoka Tano, Vader e Tarkin, temos finalmente aquela que era a aparição mais viável desde o lançamento da série: Hera voltando pra casa e encontrando Cham Syndulla em Homecoming!

Lembrando sempre que este review assume que você já viu o episódio ou que não se importa de ler spoilers.

Clique aqui para os episódios anteriores.

Nota  do M’Y: 8.5 (0 até 10)

Trilha Sonora: Cham (Clique para salvar)

Curiosidades:

  1. O porta-caças leve imperial é baseado em uma arte de Doug Chiang e Troy Vigil, criada para o The Essential Guide to Vehicles and Vessels em 1996. A arte era de uma nave rebelde do livro The Truce at Bakura, porém seu formato triangular foi usado aqui como imperial, onde faz mais sentido.
  2. Quando Hera fica afobada, seu sotaque natural Twi’lek aflora, respondendo uma questão dos fãs (americanos, pois eu nunca tinha notado isso) de qual o motivo de ela não soar como os Twi’leks de The Clone Wars.
  3. O script cita “The Ballad of Cham Syndulla”, uma música composta por Gobi Glie e escrita para uma série online de quadrinhos que acompanhava a primeira temporada de The Clone Wars.
  4. A ombreira de Cham, as manoplas, coldre e cobertura do braço de Gobie e a armadura do braço e cinto de Numa são peças retiradas da armadura de clones da companhia Ghost, que aparece em The Clone Wars.
  5. Na armadura do braço esquerdo de Numa, a palavra “boil” (ferver) está escrita em aurabesh, em referência a um dos clones que a resgataram em The Clone Wars. Ela também possui um desenho estilizado de um Tooka em sua armadura. Nota: o Loth-cat é uma espécie de Tooka.

216-trivia-gallery-4_c6ab9da8

O Episódio: Os episódio começa com os rebeldes terminando uma missão contra um Star Destroyer, porém perdendo mais um piloto, o que leva Hera a ficar extremamente preocupada. O esquadrão está pela metade e perdem mais pilotos do que conseguem. O Comandante Sato avisa que uma célula rebelde avisou que há um porta-caças sobre Ryloth e que se eles conseguissem essa nave, teriam onde pousar os caças com mais segurança. Aqui eu confesso que já vi dois problemas ao assistir pela segunda vez (coisas que não vi na primeira): ter um cargueiro para pousar os caças não teria salvo a piloto que morreu e a posição de Cham Syndulla quanto ao envolvimento de Hera com coisas fora de Ryloth vai completamente contra avisar que a nave estava lá. Fica logo claro que Hera e Cham não se falam e não tem uma relação boa.

A cena onde Kanan fica todo nervoso para conhecer Cham é muito legal, ficando completamente nervoso e chamando Sabine de Ezra, Zeb de Sabine e Ezra de Zeb. Juro que não reconheci que Numa era a garotinha de The Clone Wars e que Gobie também já havia aparecido, mas suponho que isso tenha mais a ver com o fato de que faz muito tempo que vi esses episódios (Cham e cia. aparecem nos episódios s01e21 e s03e03 da antiga série).

O que parece ser uma reunião normal deixa claro que Cham não quer que os rebeldes levem a nave, mas quer fazer um show para mostrar força para seu povo. Esse plot é bastante derivativo do que acontece no primeiro terço do livro Lords of the Sith, que é cânone e a editora Aleph trará em 2016 para o Brasil. Porém, o livro se passa cerca de 10 anos antes desse episódio, Cham é derrotado (apesar de dizer o contrário) e o plano é derrubar um Star Destroyer que traz Vader e o Imperador.

Hera conta para Ezra dos seus problemas com o pai, que sente que ele se importava mais com a guerra contra os Separatistas e depois o Império do que com a família. Porém, descobrimos logo que Cham também se sente abandonado – além de descobrirmos que Chopper é um astromech velho que Hera achou durante as Guerras Clônicas.

A ideia é que tendo um TIE Bomber fingindo ser perseguido por dois A-Wings, eles consigam um pouso de emergência dentro do cargueiro imperial. É no pouso forçado extremamente realista que Cham e seus Twi’leks traem os rebeldes de Lothal. Cham ainda pretende explodir a nave imperial. A cena onde Ezra e Kanan usam vários Force Push em um trabalho de equipe é muito legal, algo que nunca vimos nos filmes. E ainda vemos Ezra aprendendo a usar o truque mental Jedi pela primeira vez. Dá pra ver que não é a coisa mais difícil do mundo, como alguns detratores de Rey gostam de fazer parecer.

Sabine eletrocuta os outros dois Twi’leks, mas Cham desabilitou o hiperpropulsor. Com um bom discurso, Hera convence Gobie e Numa a ajudar a defender a nave contra vários TIE e uma nave com tropas de assalto. É apenas durante a batalha que Cham se compadece da missão da filha e nota que eles são mais fortes juntos. O plano final, como o próprio Cham diz, beira o ridículo, mas é bem divertido. Lotar um TIE Bomber de explosivos e fazer Ezra jogar ele no mini-Star Destroyer.

No fim, Cham consegue uma nave caindo com fogo par ao planeta inteiro ver e Hera volta a ter uma boa relação com o pai.

homecoming-concept-art-gallery_28_f53906f7

Opinião do Jair Yoda: Hera costuma ser a personagem a ficar para traz nas missões e ter menos tempo de tela. Talvez só Chopper recebe menos tempo do que ela. E é por isso que quando os episódios focam nela, são os que mais me interessam. A aparição de Cham é, talvez, a que mais faça sentido em termos de encontrar personagens antigos e a representação dele foi muito fiel ao que já apareceu dele no passado. Apenas é triste saber que ele está já desde pelo menos 18 anos antes em guerra – e sabemos que durará pelo menos mais 8 ou 9 até a batalha de Jakku. É uma pessoa que não se lembra mais do que é paz e essa situação talvez leve ao desespero de passar por cima até da própria filha. No fim, um episódio que abre portas e adiciona mais um bando de rebeldes ao grupo que um dia se chamará Aliança.

REBELS RECON #2.15

Reviews e notas da 2ª Temporada

s02e14 – The Call: 8.0

s02e13 – Legends of the Lasat: 8.0

s02e12 – The Protector of Concord Dawn: 7.0

s02e11 – A Princess on Lothal: 7.0

s02e10 – Legacy: 7.0

s02e09 – The Future of the Force: 9.0

s02e08 – Stealth Strike: 7.5

s02e07 – Blood Sisters: 7.5

s02e06 – Wings of the Master: 8.0

s02e05 – Brothers of the Broken Horn: 5.5

s02e04 – Always Two There Are: 9.0

s02e03 – Relics of the Old Republic: 8.5

s02e02 – The Lost Commanders: 6.0

s02e01 – The Siege of Lothal: 9.0

Reviews e notas da 1ª Temporada

s01e07 – Gathering Forces: 7.0

s01e06 – Empire Day: 8.0

s01e05 – Out of Darkness: 7.5

s01e04 – Breaking Ranks: 6.5

s01e03 – Rise of the Old Masters: 8.0

s01e02 – Fighter Flight: 7.0

s01e01 – Droids in Distress: 7.5

s01m01 – Spark of Rebellion: 7.5