Iniciando uma Rebelião #15 – s02e08 – Stealth Strike

Ezra e Sato são capturados e a dupla menos indicada possível é enviada para salvar: o Jedi Kanan Jarrus e o clone CT-7567, ou Rex para os íntimos! Altas confusões e sabres-de-luz em lugares impróprios para menores no episódio mais divertido da temporada! Venha ver a nossa análise!

Lembrando sempre que este review assume que você já viu o episódio ou que não se importa de ler spoilers.

Clique aqui para os episódios anteriores.

Curiosidades:

  1. O almirante Brom Titus é influenciado pelas características dos muitos extras contratados nos estúdios Elstree nos anos de 1970.
  2. Este episódio marca a estréia dos técnicos de armas imperiais, costumeiramente associados aos atirados da Estrela da Morte. Como se tratam técnicos de uma arma experimental, eles usam uma insígnia imperial amarela e uniforme de cor diferente, mais clara.
  3. O desenho de Rex e Kanan feito por Sabine teve como autor real Chris Glenn.
  4. A ponte do Interdictor foi feita baseada na de um Star Destroyer, mas com controles circulares.
  5. O design do Interdictor neste episódio é bem maior do que o apresentado no universo expandido Legends. Esse design surgiu para responder a pergunta de “como impedir naves inimigas de entrarem no hiperespaço?”

Opinião do M’Y: Ezra está em uma CR90 Corvette em direção ao sistema Del Dennis em uma missão para encontrar uma equipe rebelde desaparecida. Junto com ele estão o comandante Jun Sato e alguns redshirts rebeldes. Jun Sato, que é bem mais chato que a comandante Hoshi Sato de Star Trek Enterprise, logo dá uma patada completamente sem sentido no garoto, dando a entender que o acha um inútil. Isso ficou um pouco estranho, pois, por mais que o Aladdin espacial seja jovem, o garoto tem a Força e Sato já viu algumas missões dele pra saber que ele é mais útil do que a maioria. Além de Sato provavelmente ter idade suficiente para ao menos se lembrar das Guerras Clônicas e de como os Jedi lutavam.

É nessa hora que o jovem sente um distúrbio na Força e a nave é puxada do hiperespaço. Aí o comandante Sato grita para alguém mandar um sinal de socorro e 1 segundo depois ele mesmo manda – apenas para ser interrompido na metade. Enquanto isso, na Ghost estacionada em Garel, Sabine explica que isto não é um raio trator, mas um poço gravitacional e que quando ela estava na academia imperial em Mandalore, estavam desenvolvendo uma nave com geradores de poço gravitacional para tirar naves do hiperespaço. Hera envia Kanan e Rex para a missão de resgate.

Rebelss02e08SATO

A Comandante Sato de Ster Trek Enterprise era bem mais legal do que o nosso japonês intergaláctico.

É muito legal quando os conceitos se baseiam em conceitos reais. Um resumo do resumo do resumo do que é um poço pode ser encontrado na Wikipedia, mas esse vídeo do YouTube sobre buracos negros também passa pela explicação no primeiro minuto. O que me incomoda é o quão não-estratégico é uma cadete em um mundo que até 15 anos antes era neutro, além de a base de um dos movimentos anti-Coruscant, saber de uma arma secreta em desenvolvimento.

Ao almirante Brom Titus, o comandante Sato alega ser parte da Aliança Corporativa, que é uma das instituições que fez parte do movimento Separatista nas Guerras Clônicas – argumento que, obviamente, não cola. Ezra ainda insiste em dizer que é Jabba. Vemos Rex vomitar números e mais números de protocolo que ele e Cody criaram anos antes e os imperiais aceitarem que a nave, recém roubada em Garel, pouse dentro da massiva Interdictor. Um truque mental Jedi e estamos praticamente em Uma Nova Esperança de novo.

É fácil de descobrir que Titus irá perder quando debocha da ideia do agente Kallus de triplicar a segurança em Ezra. Uma das características da série é fazer com que Ezra nunca dê um tiro em alguém ou use seu sabre-de-luz para matar e aqui temos uma clara demonstração disso: ele até avisa que vai fugir e não vai machucar os troopers – apesar de rebater um tiro de balastre em um deles, mas a série faz questão de desviar isso, mostrando o tropel bem ao ser preso na cela. Logo em seguida, ele atordoa Kanan e Rex em suas armaduras. O mais engraçado é Chopper entregando Ezra, que tentava fingir que houve uma grande batalha.

Os 4 se separam, após Ezra determinar que vão explodir a nave. Vemos novamente stormtroopers sendo stormtroopers e errando tiros a 2 metros de distância contra Kanan e Rex. Ao chegar no reator, o plano de Chopper é usar Ezra como isca enquanto ele sabota o reator, sabendo que humanos costumam ignorar dróides. A cena que se segue é bem divertida e podemos ter noção do quanto Ezra está evoluindo como Jedi.

Quando Kanan e Rex acham Sato e os redshirts, o japonês intergaláctico se surpreende com Ezra tendo escapado sozinho. De novo. Alguns instantes depois, Kanan está com o sabre-de-luz na mão. É ser implicante demais perguntar ONDE ele guardou o sabre dentro daquela armadura? Ahahaha

Rebelss02e08PINK

Os erros de continuidade de um desenho permitem algumas interpretações diferentes…

Enquanto Sato finalmente entende que Ezra é um Padawan – e isso é muito mais do que um humano normal – Rex e Kanan fogem em um pod de escape. Durante a fuga, o almirante Titus liga a arma de poço gravitacional de novo, mas ela acaba atraindo os cruzadores menores para si e as naves imperiais implodem junto com o campo gravitacional – em um efeito especial muito bonito. O episódio termina com Kallus jogando na cara de Titus o erro dele e Kanan batendo continência para Rex.

Conclusão do M’Y: Esse foi um episódio muito legal da série, com todo aquele clima de Han e Luke dentro da Estrela da Morte. Diversão foi a palavra chave aqui: Stealth Strike é o episódio mais divertido da temporada até agora. O problema é quando precisamos sentar e analisar – e vemos alguns daqueles pontos que citei acima: Sato repetidamente ignorar tudo o que aconteceu nesta temporada, Sato utilizar como desculpa ser de uma aliança que foi Separatista, Ezra se apresentar como um Hutt, uma Mandalorian de 16 anos saber segredos de guerra que não fazem o menor sentido ela ter acesso. Isso acaba tirando pontos de um episódio que poderia, pela diversão apresentada, ser o melhor da temporada, empatando ou até superando The Siege of Lothal Always Two There Are. Além disso, Ezra me representa quando fala que escolheu essa missão para fugir das briguinhas de Rex e Kanan. Esperamos que a diversão continue pelo resto da temporada e que este final sirva para deixarmos para trás essa rivalidade entre Jedi e clone.

Nota do M’Y: 7.5 (0 até 10)

REBELS RECON #2.08

Reviews e notas da 2ª Temporada

s02e07 – Blood Sisters: 7.5

s02e06 – Wings of the Master: 8.0

s02e05 – Brothers of the Broken Horn: 5.5

s02e04 – Always Two There Are: 9.0

s02e03 – Relics of the Old Republic: 8.5

s02e02 – The Lost Commanders: 6.0

s02e01 – The Siege of Lothal: 9.0

Reviews e notas da 1ª Temporada

s01e07 – Gathering Forces: 7.0

s01e06 – Empire Day: 8.0

s01e05 – Out of Darkness: 7.5

s01e04 – Breaking Ranks: 6.5

s01e03 – Rise of the Old Masters: 8.0

s01e02 – Fighter Flight: 7.0

s01e01 – Droids in Distress: 7.5

s01m01 – Spark of Rebellion: 7.5

1 comentário

    • Mari em 04/12/2015 às 17:08

    Muito interessante o comentrio. Mas meu problema so essas dores. Quando sofri uma crise de dor lombar, o mdico me indicou desse colcho magntico . Algum daqui j usou? Disseram que diminui at insonia.

Comentários foram desabilitados.