contato@jedicenter.com.br
Solo Star Wars Story

Han Solo e os spin-offs desnecessários de Star Wars

Enquanto a equipe do Jedicenter prepara a análise de Han Solo: Uma História Star Wars, decidi trazer uma discussão que envolve o novo spin-off: a trama dirigida por Ron Howard realmente foi necessária para o universo da saga?

A razão que me fez querer abordar esse assunto não está relacionada apenas com o ponto de vista dos fãs, mas especialmente pelas opiniões emitidas por grandes veículos do meio nerd. Antes mesmo de Han Solo lançar, muito se tem dito que a Lucasfilm deveria escutar o seu público, e trabalhar em filmes requisitados, a exemplo de Obi-Wan e da Velha República.

Esse pensamento, popular na mídia e disseminado em vários grupos do Facebook, vem sido pouco questionado para a minha surpresa. Afinal, o que uma nova história de Kenobi tem mais a acrescentar quando comparada com Solo? Quais são os critérios que definem um longa-metragem como sendo desnecessário?

Neste artigo, buscarei responder todas essas perguntas e me posicionar a respeito do tema central proposto no primeiro parágrafo. O objetivo não é fazer uma crítica do filme, embora é importante avisar que a publicação terá spoilers.

O desespero pelo spin-off de Obi-Wan

Ewan McGregor Obi-Wan Kenobi

Desde o início de 2017 que alguns portais influentes sugerem um spin-off de Kenobi. Os rumores são tantos, que diversos fãs já acham que o filme foi confirmado. Além de ser uma estratégia desprezível que pretende obter visualizações e acessos, notícias desse cunho podem frustrar os espectadores caso não aconteçam, afastando-lhes assim de outras produções diante de tal desapontamento.

Essa divulgação tendenciosa sobre Obi-Wan utiliza a paixão do fandom relativa ao próprio personagem, mas também por Ewan McGregor. E o louvor direcionado para o ator gera um círculo vicioso, no qual somente Kenobi parece ser digno de merecer um spin-off.

Antes que me xinguem nos comentários, não sou contra que o mestre receba sua própria trajetória nas telonas. Porém, venho presenciando há meses uma onda negativa de avaliações sobre Solo, justamente pelo desespero que Obi-Wan chegue aos cinemas.

Se analisarmos de modo cuidadoso, deixando de lado o hype descomedido criado por sites e canais do youtube, concluímos que o longa possui um escopo deveras fechado, restringindo-se à Tatooine. Kenobi, escrito por John Jackson Miller, seria o caminho mais provável que o filme seguiria, havendo escassas possibilidades de expansão.

Aliás, o atual UE mostrou Obi-Wan Kenobi no intervalo dos episódios III e IV, tanto na terceira temporada de Star Wars Rebels, quanto nos quadrinhos de Star Wars publicados pela Marvel. Na animação, vemos o Jedi dois anos antes de Uma Nova Esperança, matando Darth Maul no que poderia ser o ápice do eventual spin-off. Nas HQs, Kenobi aparece na adolescência de Luke, período do qual os fãs anseiam ver.

Kenobi tem mais a contribuir do que Solo?

Star Wars A New Hope

Han Solo: Uma História Star Wars relatou o esperado: o jogo de sabacc no qual Lando perdeu a Millennium Falcon, como Han conheceu Chewie, a Kessel Run e por aí vai. Informações adicionais e não tão aguardadas igualmente nos foram concedidas, a citar o primeiro relacionamento amoroso de Solo, a morte de Aurra Sing, personagens novos e o envolvimento de Darth Maul com as organizações criminosas, resgatando o arco que foi iniciado em The Clone Wars (série) e Filho de Dathomir (HQ).

Paralelamente, temos Kenobi com parte da sua jornada em Tatooine narrada. Sabemos ainda o destino de Obi-Wan ao término do longa, e superficialmente o desenvolvimento do enredo, que deve se concentrar na vigia de Luke e no ecossistema do planeta desértico. Esse conhecimento antecipado remete aos tópicos conjecturados de Solo que mencionei, cabendo a Lucasfilm elaborar surpresas e fazer com que os eventos previsíveis sejam formidáveis.

Melhor dizendo, Kenobi e Han Solo estão na mesma nave (ou barco, se preferir). Ambos são protagonistas queridos pelos fãs, e naturalmente despertarão interesse dos produtores na criação de mais histórias.

Dessa maneira, Kenobi não tem mais a contribuir do que Solo. E a afirmação é recíproca. Talvez esses não sejam os derivados com maior capacidade de amplificar o universo, só que aí entramos em outro debate.

E a Velha República?

Star Wars Kotor

São incontáveis os pedidos por um spin-off da Velha República. E opostamente ao Kenobi, noto que é uma vontade mais espontânea dos fãs. Os jogadores que tiveram contato com Knights of The Old Republic 1 e 2 com certeza compõem o grupo de entusiastas do filme, mas sempre gosto de recordar que esta era no Legends não se resume aos games, estendendo-se em 1000 anos de aventuras retratadas nas HQs e livros.

A trilogia de Darth Bane, A Era de Ouro dos Sith, A Insurreição de Freedon Nadd e a saga de Nomi Sunrider são somente alguns exemplos que o antigo universo expandido oferece de boas narrativas para a época da Velha República. E perante tanta diversidade de enredos e personagens, almejar um mero spin-off me parece desperdício. A fase da Old Republic facilmente rende facilmente uma trilogia de filmes, indo muito além do projeto recente de derivados.

E por que essas histórias não começam a ser contadas logo? Particularmente, acredito que a Lucasfilm possui um plano compreensível para o cinema, englobando ainda os demais setores (games, quadrinhos, etc). Digo isso baseado nos materiais de Star Wars lançados nos últimos anos. Em grande parte, as novas produções estão concentradas nos períodos das trilogias clássica e sequel. Basta observar: Star Wars Rebels, Estrelas Perdidas, Marcas da Guerra, Star Wars (HQ), Legado de Sangue, Doutora Aphra…

Lógico que houve exceções, como a mini-série de Darth Maul (HQ), por exemplo. Todavia, o foco permaneceu nos intervalos dos filmes originais e atuais. E essa abordagem é coerente, pois não gasta as épocas de uma vez só, permitindo que no futuro a Velha República receba atenção exclusiva da Lucasfilm. Sem contar que evita pontas soltas nas narrativas que já acompanhamos.

Portanto, muita calma! O momento da Old Republic certamente está se aproximando.

O que seria um spin-off desnecessário?

Han Solo and Q'ira

Caso tenha lido o texto até aqui, já deve ter notado que eu não considero Han Solo um spin-off desnecessário. Da mesma forma que para mim fortuitos derivados de Obi-Wan, Vader, Boba Fett e continuações para Solo são válidos. E digo isso tentando deixar as preferências pessoais em segundo plano, afinal Fett não é um dos meus personagens favoritos.

Contudo, reconheço que Boba e os demais ícones de Star Wars mencionados possuem algo a acrescentar na saga. Justamente a partir desse ponto, no qual uma nova produção cinematográfica pode expandir o cânone, é que passo a classificar o longa-metragem como útil, necessário ou qualquer outra atribuição semelhante.

Han Solo tinha o poder de contar narrativas há muito tempo desejadas (ex: Kessel Run), e de fato fez isto. Adicionalmente, os roteiristas interligaram a origem de Solo com arcos que aparentavam ser distantes (Maul e os sindicatos do crime). Gostando ou não, é inegável que o trabalho de Ron Howard contribuiu bastante para a franquia.

Assim sendo, um spin-off desnecessário seria aquele com pouco potencial de expansão, estrelando personagens sem tanta popularidade e/ou que se encaixasse em filmes mais abrangentes. De modo a clarear o que disse, usarei um rumor de 2017, o qual indicava que Jabba ganharia sua própria História Star Wars.

Mesmo estando na lista de figuras antigas da saga, não faria sentido bolar um spin-off do Hutt. Jabba se enquadraria em contextos maiores, podendo ser o vilão do longa de Fett, ou das eventuais sequências de Solo. Além disso, sua notoriedade nem chega aos pés de Yoda, Luke, Sidious, etc. Os spin-offs precisam focar nos protagonistas, e com base nisso inserir personagens secundários para explorá-los junto dos principais. Desse jeito, os fãs são atraídos pelo filme, e o objetivo de expandir o universo é atingido.

Eu recebo ordens de uma pessoa! Eu!

Acredito ter respondido todos os questionamentos feitos na introdução do artigo. Obviamente vários fãs continuarão achando Han Solo um spin-off inútil, e eu não busco mudar esta opinião. Porém, deixo o conselho que você, leitor, aproveite mais as novas histórias de Star Wars. Pense também se um filme é desnecessário apenas por você preferir outro personagem. E o mais importante de tudo, não deixe que rumores e notícias mentirosas influenciem nas suas convicções. Han Solo de fato teve muitos problemas, mas foi longe de ser um desastre como alguns anunciavam.

Portanto, não deixe de assistir Solo ou os próximos longas da saga devido a terceiros. Forme sua crítica e divirta-se, pois esta época é a melhor para ser um apaixonado por Star Wars!

Lucas Dirani

Fanático por Star Wars desde os 6 anos, teve o seu primeiro contato com a saga assistindo os filmes da trilogia clássica e jogando Super Star Wars de SNES. Atualmente escreve para o site Jedicenter e coleciona todos os materiais da franquia, desde livros/HQs até action figures.