contato@jedicenter.com.br
Template Cover Site

OS ÚLTIMOS JEDI | A ameaça veio de outra Galáxia?

Quem me conhece sabe que acho uma completa viagem especulações que colocam Snoke como personagens que já vimos na Saga e/ou como sendo parente de algum personagem principal e com isso ganhei uma fama como “hater de teorias”. Embora ache algumas delas muito viajadas e completamente sem nexo, eu mesmo já especulei uma vez. E agora, após terminar os livros EMPIRE’S END e THRAWN, me encontro mais uma vez deixando a mente vagar nas possibilidades que a nova trilogia pode apresentar se a produção aprender a se desapegar de algumas fórmulas (algo que o diretor Rian Johnson afirmou fazer em Os Últimos Jedi). Lembrando que este artigo possui spoilers da trilogia começada pelo livro MARCAS DA GUERRA (ainda incompleta no Brasil), THRAWN e BLOODLINE (ainda sem data de publicação).

Vamos começar com uma rápida recapitulação do que sabemos do primeiro livro Marcas da Guerra. Um dos conselheiros do imperador, Yupe Tashu, diz que Palpatine acreditava que o poder do Lado Sombrio veio de algum lugar nas Regiões Desconhecidas. Yupe e os outros conselheiros construíram laboratórios e estações de comunicação nas margens da galáxia que buscavam a fonte do Lado Sombrio. Em Dívida de Honra, segundo volume da trilogia, nós descobrimos que uma dessas estações estava em Jakku, mas ela não foi construída, foi encontrada e desenterrada.

Finalmente, no livro Empire’s End, nós aprendemos seu verdadeiro propósito: lá dentro, computadores antigos eram usados para mapear as regiões desconhecidas. Palpatine passou décadas enviando sondas, droides, homens e mulheres para um espaço inexplorado. A maioria ficou perdida para sempre, mas lentamente uma rota segura foi descoberta. O grande conhecimento do desconhecido foi reforçado pelo grande almirante Thrawn, vindouro dessa região. No livro Thrawn, o Grande Almirante conta ao Imperador que existe uma ameaça para a galáxia nas Regiões Desconhecidas do espaço e que o único motivo dele estar ajudando o Império é que o governo é o único com poder suficiente para suportar a ameaça, no entanto ele nunca entra em detalhes sobre o que é ou o que o torna tão perigoso pois este não era o foco do livro.

O novo mapa canônico da Galáxia. Note que a Base Starkiller parte das Regiões Desconhecidas.

Algum tempo antes da Batalha de Endor, foram estabelecidas coordenadas de navegação que levariam profundamente ao desconhecido, possivelmente a uma nova galáxia. A instalação em Jakku era originalmente uma parte de um plano de contingência caso o Imperador caísse. Com sua morte, alguém reuniria o Império que não conseguiu protegê-lo e a Aliança Rebelde em Jakku e explodiria o planeta consumindo as tropas e permitiria que apenas alguns seguidores leais se aventurassem em uma nova galáxia para começar de novo usando as coordenadas. No entanto, quando as coordenadas foram definidas tão profundamente nas regiões desconhecidas, algo inesperado aconteceu.

Palpatine começou a receber um sinal através da Força. Algo que apenas ele podia sentir e que Darth Vader não podia. Seja o que for, Palpatine ficou convencido de que algo lá fora o esperava, chamando-o. Alguma origem da Força? Uma presença obscura formada por uma substância malévola? Suas visões mudaram o propósito do observatório de Jakku para uma expedição, mas Palpatine morreu antes que sua jornada pudesse começar. Curiosamente, ele não era o único ser que recebia visões do Lado Sombrio. Os membro do grupo conhecido como Acólitos do Além começaram a ter sonhos e visões de escuridão e sobre os Sith, antigos e recentes.

Agora é hora de especular sobre o que tudo isso significa. A partir de tudo que li, a exploração do Império nas Regiões Desconhecidas despertou alguma coisa. Algo antigo e poderoso. A coisa óbvia aqui seria o líder supremo Snoke. Talvez acordado não é a palavra certa, porque de acordo com o roteiro e livro de O Despertar da Força, ele viu o Império crescer e cair. Pablo Hidalgo afirma que as novelizações e roteiros são interpretações da história do ponto de vista de seus autores e que o que está nas telas é o que vale, portanto, facilmente podemos desconsiderar este pedaço de informação.

Desde que O Despertar da Força e o primeiro livro da trilogia Marcas da Guerra foram lançados, presumi que Snoke é um personagem completamente novo e agora com diversos livros apontando uma ameaça fora das fronteiras, pode ser alguém que se originou de lá. O meu palpite atual é que ele é um ser que encontrou a fonte do Lado Sombrio enquanto residia por lá. O livro Empire’s End continua a apontar-nos nessa direção. No fim do livro, a Almirante Rae Sloane se encontra com a frota remanescente do Império nas Regiões Desconhecidas e será alí que a Primeira Ordem será concebida (poderemos ver isso em Battlefront 2).

O livro Bloodline se passa seis anos antes de O Despertar da Força e temos apenas um começo de ameaça da Primeira Ordem na galáxia. Quando ela retorna a República já floreceu, no entanto, a Primeira Ordem não retorna sozinha e ela pode ser apenas um meio para os planos fantásticos de Snoke.

Seja Snoke ou não, existe algo perambulando pelas bordas da Galáxia. E essa ameaça foi capaz de assustar até mesmo o Grande Almirante Thrawn. Isso por si só, é motivo para a Galáxia se preocupar.

Marcelo Skywalker

Escória Rebelde do interior de São Paulo. Pode ser encontrado mais on-line do que na vida real pelo Twitter ou pelo Facebook
  • Daniel F. Lemos

    Algumas considerações:

    1) em Rebels tem-se falado muito sobre equilíbrio e de certa forma o ep8 para e querer seguir isso.

    2) lembro que vi em alguma lugar que George Lucas disse que o lado negro não é natural ou normal e que usuários do dark side somem quando morrem. (Apesar do espírito, ou algo assim, de Darth Bane em Clone Wars).

    Então com essas considerações + seu texto, chego a pensar na possibilidade desta outra galáxia ser um tipo de irmã da galáxia de Star Wars.

    E considerando ainda que o novo planeta da raça do Zeb (Rebels) fica em outra galáxia. Aliás, o mesmo disse que sua raça sempre foi de lá e não “de cá”.

  • Alexandre Henrique

    Finalmente uma teoria decente!