contato@jedicenter.com.br
S04e1517finale

Iniciando uma Rebelião #53 – s04e14-16 – Series Finale

Star Wars Rebels faz a gente chorar de novo. Sem mais.

Lembrando sempre que este review assume que você já viu o episódio ou que não se importa de ler spoilers.

Clique aqui para os episódios anteriores.

Nota  do M’Y – A Fool’s Hope: 8.0 (0 até 10)

Nota  do M’Y – Family Reunion – and Farewell: 10.0 (0 até 10)

Trilha Sonora – A Fool’s Hope:

Hera’s Arrival (link)

Trilha Sonora – Family Reunion – and Farewell:

Sabine Sees Ezra (link)

Epilogue (link)

End Credits (link)

Curiosidades – A Fool’s Hope:

  1. No início do desenvolvimento, este episódio foi chamado de “Ezra’s Gambit” (“A Aposta de Ezra”). O título final do episódio, “A Fool’s Hope” (“A Esperança de um Tolo”, é uma referência a uma fala de Gandalf.
  2. Os clones em Seelos obtiveram “um barco maior” desde a aparição na segunda temporada, depois de terem substituído seu AT-TE por um AT-AT capturado naquele episódio.
  3. Entre as naves de apoio que atuam no bloqueio de Lothal estão os designs derivados dos dreadnoughts imperiais que apareceram na Trilogia de Thrawn. Eles datam do Sourcebook Imperial do RPG da West End Games de 1990.
  4. Como uma piada para a equipe, foi produzida uma versão da sequência do ataque dos lobos-loth que substituiu os gritos dos stormtroopers com o som de brinquedos sendo mordidos. Esperamos que saia como bônus em algum DVD.
  5. Os lobos que aparecem atrás de Ezra são semelhantes aos fyrnok que se elevam atrás dele na primeira temporada, no entanto, agora Ezra está em com um controle e foco muito melhor de suas emoções.
  6. Um rascunho anterior do roteiro do episódio incluiu uma cena em que os vilões planejavam o futuro do Império, o que exigiria a inclusão do Diretor Krennic. Krennic foi projetado, mas a cena foi cortada no início.
  7. A virada da Ghost feita por Hera para eliminar uma nave imperial foi desenvolvida para este episódio de independente da mesma manobra em que a Millennium Falcon faz isso com um TIE Fighter vista no trailer de Solo: A Star Wars Story. Cronologicamente, Solo ocorre primeiro.

Curiosidades – Wolves and a Door:

  1. Os títulos iniciais para esses episódios eram “The Light of Lothal” (“A Luz de Lothal”) partes um e dois.
  2. A seção do Templo Jedi cortada em “Wolves and a Door” é revelada estando a bordo do Star Destroyer Chimaera de Thrawn neste episódio.
  3. O gerador do escudo tem bancos de capacitores com o mesmo design vislumbrado por um corredor de potência no bunker em Endor em Return of the Jedi. O modelo, montado rapidamente e produzido em escala pela ILM para Return of the Jedi é feito de pilhas de copos pintados.
  4. A coda (parte final) do episódio foi mantida escondida de todos, exceto a equipe que estava trabalhando diretamente nela até o último momento possível antes de transmitir. Vanessa Marshall (Hera), por exemplo, só ficou sabendo do filho de Hera e Kanan ao ver o episódio em uma seção para fãs em 2 de março (apenas três dias antes dos episódios passarem na TV nos EUA).
  5. A Sabine mais velha tem um purgill pintado em seu ombro.
  6. Os créditos mostram pela primeira vez Dave Filoni como a voz de Chopper (antes aparecia “Chopper como ele mesmo”).
  7. De acordo com a seção de perguntas e respostas no final desta seção para fãs, o final com Sabine e Ahsoka caminhando é baseado no final de vários filmes de cowboy.
  8. Nesta mesma seção, Taylor Gray (Ezra) diz que sabia que os purgills estariam presentes em algum final, mas que achava que seria na terceira temporada.
  9. O filho de Kanan e Hera se chama Jacen Syndulla. Jacen é o nome do filho mais velho de Han e Leia no antigo UE Legends. Os outros filhos Solo são Jaina (gêmea de Jacen) e Anakin.

O Episódio – A Fool’s Hope: A equipe da Ghost dirige-se para a base Joopa para se encontrar com alguns velhos amigos, Gregor, Wolffe, Hondo e . Lá, eles planejam uma missão para ajudar Ezra a libertar Lothal. Mas percebendo que algo mudou, Ezra acredita que precisa agir imediatamente. Enquanto isso, a governadora Pryce recebe um comunicado secreto de Ryder Azadi. Ele concorda em trair a rebelião por anistia completa. Seguindo a dica de Ryder, o Império ataca os rebeldes, pegando-os de surpresa. Um tiroteio começa enquanto Pryce assiste o que ela crê ser a sua vitória final, do contrário, ela sabe que acabará sendo executada. A bordo da Ghost, Hondo aconselha que eles apenas esperem nas coordenadas de uma saída de hiperespaço e se agarrem a uma nave Imperial quando uma chega. É arriscado, mas eles acabam passando pelo bloqueio imperial. Curioso que por tudo o que a série construiu e sabendo previamente que as chances de a série não acabar bem existiam, fiquei realmente tenso de não conseguirem passar.

De volta na superfície de Lothal, o Império continua seu ataque, derrubando o veículo dos rebeldes e forçando Ezra e Zeb a dar um salto desesperado para sobreviver, apenas para dar de cara com os outros rebeldes presos. O Império venceu e e ainda não há nenhum sinal de Hera e da tripulação da Ghost. Ezra e os rebeldes se rendem quando Pryce desembarca para agradecer Ryder pela traição. Até este ponto tive realmente dúvidas se ele havia mesmo traído. Mas “fazer você chegar até aqui foi parte do nosso plano”, diz o ex-governador para a atual governadora. Nesse momento, Hera chega, explodindo tudo Os clones, Hondo, Kallus e o restante do povo que eu não lembro o nome desembarcam, e uma nova batalha começa. Rukh encurrala Ezra até descobrir que ele não precisa de um exército de pessoas, pois ele tem lobos-loth. Parte de mim gostaria que os filmes tivessem mais dessa parte mística da Força, mas acho que ficarei sem.

Os animais atacam os imperiais, efetivamente vencendo a luta. Pryce se rende e é feita prisioneira, os rebeldes são vitoriosos. Mas não acabou. “Não antes de tirar o Império de Lothal”, diz Ezra, “e mostrar para a galáxia que, mesmo com todo o seu poder, eles podem ser derrotados”.

Opinião do Jair Yoda – A Fool’s Hope: Quando vi na semana passada o preview deste episódio com a presença de Hondo Onaka, já fiquei preocupado. Não costumo ser fã do pirata e imaginei um filler. Qual não foi a minha surpresa quando A Fool’s Hope se tornou um episódio extremamente consistente, me surpreendendo já no momento em que Hondo fala que faria qualquer coisa por Ezra. Por algum tempo até acreditei que Ryder havia traído o grupo, principalmente pela reação dos rebeldes à chegada imperial – embora suponho que isso possa ser explicado por chegarem antes do previsto.

A estratégia “Han Solo” de Hondo para passar pelo bloqueio foi um excelente toque, e ainda serviu para mostrar o motivo de o pirata sobreviver mais de 20 anos nesse trabalho. Os únicos comentários negativos do episódio foram devido ao fato de que apenas um rebelde morre em toda a batalha. Ainda assim, a volta de Wolffe e Gregor como uma célula rebelde e a excelente batalha (melhor que TLJ e TFA).

O Episódio – Family Reunion – and Farewell: Ezra está sozinho, olhando para uma foto de seus pais. “Mãe, pai, eu sei o que tenho a fazer agora”, diz ele. “Eu quero que vocês saibam, que tudo o que eu fiz e vou fazer começa com vocês”. Os rebeldes fazem seu último e desesperado (e bota desesperado nisso!) plano para finalmente liberar Lothal da presença imperial. Com alguma persuasão dos lobos-loth, a cativa governadora Pryce concorda em transmitir códigos de pouso para a base imperial. Os rebeldes irão se apresentar como seus prisioneiros, com Ezra e Sabine disfarçados de scout troopers e Kallus de comandate. Um tiroteio segue após o pouso, mas os rebeldes finalmente conseguem entrar, cortando as transmissões do Império e assumindo o controle da base. O uso de Melch, o Ugnaught, para atrair a atenção dos imperiais foi muito criativo e engraçado

Enquanto isso, o highlander Rukh ataca Mart, Vizago e Wolffe, que estão de pé junto à Ghost nos arredores da base rebelde de Lothal. Depois de ser perseguido por um lobo-loth, que efetivamente salvou a vida dos três rebeldes, Rukh relata os recentes desenvolvimentos rebeldes diretamente a Thrawn. O chiss ordena que seu assassino se infiltre na sede imperial e desative o gerador do escudo, pois ele chegará em breve.

Os rebeldes usam o recém-criado o protocolo 13, chamando todos os soldado do império em Lothal de volta para a base, procurando fechar todos eles dentro da base. Esse é o mesmo protocolo utilizado em Jedha em Rogue One. Mas uma vez que Thrawn chega, com Rukh desativando com sucesso o gerador do escudo, isso pouco importa – na verdade, até piora, como Zeb comenta depois, já que são alguns poucos rebeldes presos no mesmo prédio com todos os stormtroopers de Lothal. O grão-almirante abre fogo contra o povo de Lothal, forçando Ezra a se render, apesar dos protestos de Hera. Aliás, a comunicação visual entre Sabine e Ezra apenas mostra o quanto estes dois evoluíram e ainda mostra que nem toda relação homem-mulher precisa ser romântica (fãs de Reylo, essa foi pra vocês). Chegando no SD Chimaera, Ezra diz ao imperial que ele não merece Lothal. Mas “quem merece o que é irrelevante”, diz Thrawn. “O que importa é quem tem poder. Mas isso é algo que os Jedi não vão ensinar para você” assim como a tragédia de Darth Plagueis, o Sábio. “Então eu vou levá-lo a alguém que vai”, o Imperador.

“Meu querido menino, eu queria conhecer você”, diz uma projeção holográfica de Palpatine que não passou pelas deformações da luta contra Mace Windu. O novo cânone diz que Palpatine se tornou recluso e haviam boatos de que a imagem pública dele não era a real, mas uma fabricada. Aqui é a prova concreta de que Palpatine tem esta imagem fabricada. Se é um poder da Força (semelhante a Luke em The Last Jedi) ou CGI galáctico, não sabemos. Wolffe e companhia despertam após o ataque de Rukh e Mark rapidamente corre para a Ghost, dizendo a seus companheiros que Ezra lhes deu uma missão secreta no caso de Thrawn voltar para Lothal: ele deve entrar em órbita em torno de Lothal e enviar um sinal em frequência zero (o que eu espero que não seja realmente zero Hz, visto que isso é fisicamente impossível). A quem eles estão contatando? “Não tenho certeza de que é ‘quem'”, diz Mart. “Mais como um quê”.

Dentro da base, os rebeldes procuram ativar o gerador do escudo. O Imperador fala gentilmente com Ezra, informando-lhe que moveu uma porção do Templo Jedi para a nave, pedra por pedra, apenas para ele e eu sou o Bozo. A razão seria para dar a Ezra a oportunidade de salvar seus pais. Ezra olha com descrença, enquanto seus pais chamam ele. Tudo o que ele tem a fazer é abrir a porta. Ezra aproxima-se, vendo seus pais. “Filho? Você está vindo?” seu pai pergunta. Fiquei sem entender se aquilo era um holograma, uma alquimia Sith ou se por acaso Palpatine conseguiu mesmo encontrar a passagem para uma dimensão onde os pais de Ezra estão vivos. Embora Filoni tenha usado o conceito de uma dimensão fora do tempo e conseguir mover coisas em suas linhas do tempo, espero que não mexam muito nisso. Star Wars não é Star Trek, nem De Volta para o Futuro, nem Rick & Morty (todas séries que eu adoro). Do contrário, corre-se o risco do Kylo Ren voltar para o passado e ajudar Darth Vader a vencer a Rebelião.

As forças rebeldes pressionam, ganhando espaço na batalha pelo gerador de escudo. Finalmente, os rebeldes se dirigem para os controles do gerador, mas sofrem duas perdas: Melch e Gregor caem. Enquanto isso, Zeb decide confrontar Rukh diretamente.

Palpatine continua implorando Ezra para salvar seus pais. O Padawan contempla a escolha diante dele, e estica a mão: “Mãe, pai. Vocês sempre serão uma parte de mim. Mas eu tenho que deixar vocês irem.” Ezra fecha a porta e derruba o Templo Jedi, para desespero de #Palpamito32BBY. O Padawan começa a fugir dos detritos que caem e corre em direção à projeção do Imperador, que revela a sua verdadeira forma Sith. Palpatine emerge dos destroços e manda que Bridger seja destruído. Guardas blindados vestidos de vermelho entram, com armas que levantam Ezra em uma posição bastante similar a de Rey em TLJ, mas Ezra consegue lançar os destroços do Templo em sua direção, eliminando os guardas.

Ezra explode seu caminho até a ponte de Thrawn, que não está preocupado. Isso até ele ser informado que vários objetos não identificados entraram no sistema e destruíram todo o bloqueio imperial. Thrawn olha para ver as criaturas maciças, baleias espaciais – purrgils – indo para a atmosfera. Essa foi a hora que eu pensei comigo “what the f*** está acontecendo aqui!?” Elas colidem com as naves de comando imperiais, destruindo-as ou desativando-as. “O que quer que aconteça a seguir, acontece com os dois”, diz Thrawn a Ezra. “Essa é a ideia”, responde o Padawan. De repente, os tentáculos de um purrgil atravessam a janela do Star Destroyer de Thrawn, agarrando-o. Quando Ezra é forçado a lidar com stormtroopers, o grão-almirante atira nele por trás no ombro. Thrawn se mostra com uma mira tão boa quanto seus soldados! Embora ferido, Bridger se vira, empurrando Thrawn de volta para os tentáculos e fecha as portas de traz da explosão, à medida que mais e mais purrgils se prendem ao Star Destroyer e começam a brilhar. Todos sabemos para onde baleias espaciais vão quando brilham mais que neon de carro em Velozes e Furiosos.

“É com todos vocês agora”, diz Ezra a seus amigos a bordo da Ghoso. “E lembrem-se: a Força estará com vocês. Sempre.” Os purrgils, e a nave de Thrawn com eles, entram no hiperespaço. Os rebeldes restantes aproveitam a chance, lançando a base imperial aos céus e ligando a sua autodestruição. A governadora Pryce se recusa a sair e perece juntamente com a base, enquanto explode sobre a cidade. No Ghost, uma gravação que Ezra deixou para Chopper começa a tocar. “Eu vou sentir falta de todos vocês”, ele diz, e se dirige a cada membro da equipe. Para Sabine, ele diz: “Não esqueça, estou contando com você”. Mas para o quê, ela pergunta, sem ter uma resposta na gravação. As pessoas enchem as ruas abaixo, torcendo o Fantasma enquanto ele sobe acima. Lothal finalmente está livre

Algum tempo depois, após a Batalha de Endor e o fim do reinado do Imperador, Sabine conta o destino da equipe da Ghost: o ataque Imperial nunca veio.

Zeb levou Kallus para Lira San, mostrando a seu amigo que ele não havia destruído o povo de Lasat.

Hera e Rex lutaram na Batalha de Endor. Naquele momento, havia um novo membro adicionado à tripulação do Fantasma: Jacen Syndulla. Aliás, além de twi’lek e humano dar resultado, eita resultado feio do caramba. Notaram as orelhas que ficam esverdeadas?

Sabine, no entanto, percebeu que havia mais para ela do que apenas proteger Lothal.

“Ezra está lá em algum lugar. E é hora de trazê-lo para casa”, diz ela, antes de partir para as estrelas com Ahsoka Tano, que chegou com duas X-Wings e uma antiga nave Jedi.

Opinião do Jair Yoda – Family Reunion – and Farewell: Alguém dê um filme pra esse homem! Cancelem a série do D&D e deixem Filoni desenvolver algo! A capacidade desse homem de amarrar pontas soltas com detalhes que pouca gente imaginária é impressionante. O episódio liberou Lothal sem a intervenção da Aliança Rebelde (efetivamente mantendo ANH como a primeira grande vitória), utilizou os purgill (que todo mundo achou que era filler) para isso, deu um final para Zeb e Kallus (a lá Gimli e Legolas), explicou apenas Hera e Chopper aparecerem pós-ANH, além de manter Thrawn, Ahsoka e Ezra efetivamente desaparecidos durante toda a trilogia clássica,dando sentido à frase do Yoda, sem matar os dois (o que eu já previa que ia acontecer). Eu realmente achei a solução do Filoni muito boa para o que, com as limitações do cânone, era uma batalha até a morte (numa série infantil). Fosse uma série live-action, provavelmente terminaria em morte, mas é uma série infantil. Emocional, com ótima trilha sonora de novo excelente e com uma solução brilhante, a série termina com um dos seus melhores episódios.

REBELS RECON

Mestre Yoda

Mestre Yoda na verdade se chama Jair e é um engenheiro nerd que se pudesse ganharia dinheiro com Star Wars. Como não pode, fica enfiado nos detalhes do Universo Expandido e das obras para telinha da saga o máximo que pode. Só vê uma possibilidade de Star Wars ser melhor do que é: The Beatles como trilha sonora!