contato@jedicenter.com.br
S04e0304

Iniciando uma Rebelião #49 – s04e03-04 – In the Name of the Rebellion

Saw Gerrera está de volta! E novamente contra a liderança da Aliança Rebelde. O problema é que Sabine e Ezra concordam com ele…

Lembrando sempre que este review assume que você já viu o episódio ou que não se importa de ler spoilers.

Clique aqui para os episódios anteriores.

Nota  do M’Y: 8.0 (0 até 10)

Trilha Sonora: Saw’s Friend Arrives (Link)

Curiosidades:

  1. Saw Gerrera (mais uma vez interpretado por Forest Whitaker) agora se parece mais com seu visual final em Rogue One: A Star Wars Story, uma evolução de design de sua aparição anterior da terceira temporada. Ele se refere à rebelião por seu nome formal, a “Aliança para Restaurar a República”.
  2. Este episódio finalmente liga a tripulação da Ghost com a Aliança Rebelde vista em A New Hope e Rogue One. É a estréia da base Massassi na série, que data do filme original de Star Wars.
  3. A pergunta de Mon Mothma para Saw “O que vamos nos tornar?” ecoa uma linha de uma edição anterior de Rogue One, onde Saw pergunta para Jyn o que ela se tornará. Isso aparece no trailer de Rogue One.
  4. Este episódio marca a estreia na série da U-wing de Rogue One, agora ostentando as cores preto e branco dos Partisãos de Saw Gerrera como uma X-Wing vista no filme em Jedha.
  5. A carreira rapidamente decrescente do Comandante Brom Titus chega a uma conclusão dramática neste episódio, tendo começado como almirante na segunda temporada.
  6. Em uma versão anterior do script, o piloto de Saw seria um novo personagem chamado Lorc, que foi projetado para ser um Klatooinian (espécie que eu mesmo nem sequer me lembrava de ter visto). Para se conectar melhor com Rogue One, o piloto foi mudado para Edrio Dois Tubos, com David Acord repetindo a voz que fez no filme.
  7. O droide que projeta o holograma de Saw, R4-C2, foi originalmente destinado a ser um rival para Chopper, mas esse detalhe específico nesta história foi cortado pelo primeiro rascunho do script.
  8. Entre os prisioneiros imperiais há um Theelin do sexo masculino, uma primeira vez que um macho dessa espécie apareceu na tela. As mulheres Theelins incluem Rystáll Sant de Return of the Jedi, Latts Razzi de The Clone Wars e Gooti Terez de Rebels.
  9. O rascunho final do roteiro tem uma estação espacial civil chamada Estação Faos, mas no início do desenvolvimento ela foi chamada de “Estação Taos”. Essa alteração de nome aconteceu tarde demais para alterar a textura superficial do modelo da estação, que tem o nome Taos impresso em Aurebesh na sua superfície.
  10. Esta história aponta Saw para o planeta Jedha: sua presença aumentaria a violência naquela lua enquanto seus partidários atacaram a ocupação imperial, conforme descrito no livro Guardians of the Whills (que não saiu no Brasil ainda e que ainda não li). Porém, como visto nessa história, Saw ainda tem as duas pernas, o que significa que a maior lesão que faz com que ele perca uma (e, de fato, provoca a deterioração de sua saúde) aconteça próxima dos eventos de Rogue One.
  11. A comandante death trooper, DT-F16, é intepretado por Jennifer Hale, que emprestou seus talentos vocais a Star Wars muitas vezes antes, as mais memoráveis sendo como Bastila Shan no videogame dos Knight of the Old Republic e Aayla Secura em The Clone Wars.
  12. O capitão imperial da nave cargueira, sem nome no episódio final, foi chamado de capitão Wells em rascunhos anteriores do roteiro.

O Episódio – Parte I: O episódio começa praticamente numa sequência direta do anterior: a tripulação da Ghost chegando em Yavin 4 com a nave mandalorian do episódio anterior. Para fãs antigos é com certeza uma visão emocionante, como foi rever a base em Rogue One e, pelo jeito, a veremos muito nesta temporada. Zeb e Rex já estão lá, Chopper não quer tomar banho de óleo, e nesse exato momento Hera é obrigada a fazer um pouso forçado com a sua Y-Wing. Vemos Wedge, que faz parte do esquadrão de Hera, e até Kallus, em seu novo visual.

Mon Mothma, Bail Organa e Jan Dodonna os esperam para uma reunião: há um novo relê de comunicação que está aumentando a velocidade de resposta dos imperiais. Levanta-se aqui a dúvida de como Saw Gerrera consegue informações e a Aliança Rebelde não, ao que Kallus responde que Gerrera não se importa com o como ele consegue as informações (e Ezra concorda com Gerrera). Fica então a missão para a equipe da Ghost de se infiltrar no local e implantar algo para espionar essas informações.

Além de concordar com Saw, Ezra cobra Mon Mothma da promessa de ajudar Lothal, que falhou devido às ações de Thrawn. Mon explica que além de Lothal, o próprio planeta dela, Chandrilla (que viria depois a ser a primeira capital da Nova República) e outros, como Ryloth, Onderon, Montross e outros milhares de mundo. Mon também explica que a derrota para Thrawn mostrou que a Aliança ainda não tem forças para uma guerra aberta (declarada em Rogue One). Justamente enquanto medita com Kanan e conta que acha que estão escolhendo a luta de um jeito errado, um dróide começa uma transmissão de Saw para toda a Aliança ver. A conversa entre Mon Mothma e ele é bastante interessante, sendo que estamos aqui cerca de dois anos antes de Rogue One Uma Nova Esperança. Saw obtém mais resultados, mas ao custo de civis e de matar aqueles que se rendem, algo considerado pela Aliança como inaceitável.

Ezra, Sabine e Hera querem destruir o relê, mas Hera tem as suas ordens e pretende segui-las. Kanan apoia Hera e acredita que ela está fazendo a coisa certa. Ezra, Sabine e Chopper saltam sobre a antena, porém o pequeno dróide não consegue parar. Fiquei perguntando onde estava a cabeça de Ezra para não segurar ele usando a Força. Enquanto sabotam a antena, chega o Comandante Brom Titus, com um cruzador leve e dois novos TIE Defenders! Enquanto Hera, Kanan e Zeb tentam escapar dos TIEs na Ghost, uma U-Wing preta chega e ataca o cruzador. É Saw Gerrera, que explode o relê, levando junto o cruzador de Titus, que estava perto demais. O episódio termina com Gerrera levando Ezra, Sabine e Chopper junto.

O Episódio – Parte II: Saw precisa da ajuda dos três para entrar em uma estação espacial civil que está sendo secretamente utilizada pelo Império para suprir o que quer que eles estavam construindo em Geonosis. Entrando no cargueiro civil, os dois rebeldes, Chopper e Saw encontram stormtroopers e Ezra escuta algo como uma canção, que eu e você já sabemos que se trata de cristal kyber. Chopper descobre que há uma nave imperial guardada e que o cargueiro vai par ao setor Tonnis, que não deveria ter absolutamente nada e que a áre de carga número 17 está bloqueada para acesso. Lá eles encontram vários prisioneiros de alta capacidade técnica, sempre relacionados com potência e energia. Um deles conta que ouviu os stormtroopers falarem do planeta Jedha como fonte dos produtos que estão sendo carregados.

Enquanto Chopper leva os prisioneiros par aos pods de escape, Saw, Ezra e Sabine encontram death troopers protegendo aquela carga que produz uma canção etérea: é um cristal kyber gigante mantido em carbonita. Ezra e Sabine querem impedir o cristal de chegar ao destino, enquanto Saw quer que chegue lá para saber o que estão construindo. Sendo vencido, ele atira neles e os atordoa. O plano de Saw é explodir a nave ao fazer o cristal ficar instável. Ele parte, deixando Ezra e Sabine para tentar salvar os prisioneiros. Eles conseguem sair com a nave imperial e são resgatados por Hera, Kanan e Zeb.

Opinião do Jair Yoda: Gostei bastante destes dois episódios, mesmo eu sendo dos poucos que conheço que não é muito fã de Rogue One. Pessoalmente tendo a concordar com Mothma, mas está aqui uma líder que já há 17 anos se opõe ao Império e já fazia oposição à guerra pelo menos 3 anos antes, quando as Guerras Clônicas começaram. Ou seja, 20 anos tentando negociar com Palpatine. É muita fé na bondade alheia! O primeiro episódio focou um pouco mais nessa questão filosófica enquanto o segundo foi pura ação, o que é normal em um episódio duplo.

Inicialmente vi a concordância de Ezra com Saw como um gancho para o final da série: imaginei que Ezra poderia sair da Rebelião por discordar da maneira como as coisas acontecem. Talvez isto ainda aconteça, mas não será o caminho de Saw que ele seguirá.

REBELS RECON#4.3 e #4.4

Mestre Yoda

Mestre Yoda na verdade se chama Jair e é um engenheiro nerd que se pudesse ganharia dinheiro com Star Wars. Como não pode, fica enfiado nos detalhes do Universo Expandido e das obras para telinha da saga o máximo que pode. Só vê uma possibilidade de Star Wars ser melhor do que é: The Beatles como trilha sonora!