contato@jedicenter.com.br
Star Wars E O Serviço De Streaming

O futuro de Star Wars e o serviço de streaming da Disney

Há poucos meses, a Disney surpreendeu com o anúncio de um serviço de streaming próprio previsto para 2019. E como se já não fosse o bastante, a companhia confirmou que as produções da Marvel e Star Wars estarão disponíveis na plataforma, ameaçando assim o reinado da Netflix.

Ainda que a concorrência entre as empresas americanas seja um assunto interessante a ser discutido, outros pontos no lançamento do serviço chamam a nossa atenção, fãs da saga criada por George Lucas: o que a Lucasfilm pode criar? O universo cinematográfico de Star Wars será influenciado pela proposta de streaming da Disney?

Particularmente, imaginar as possibilidades de novas séries e filmes, tanto no ramo das animações, quanto no do live-action, me deixem bastante empolgado. Isso porque de maneira oposta ao desenvolvimento de atrações para o canal Disney XD, a Lucasfilm deve ter mais liberdade para elaborar histórias, construir as cenas de ação e assim por diante.

Star Wars Rebels foi uma série maravilhosa, mas era perceptível que alguns combates não tinham a mesma coragem que vimos em The Clone Wars. O meu amigo João Francisco, que inclusive me deu a ideia de escrever esta publicação, recordou um dos excelentes episódios de TCW, no qual Darth Maul usa o seu lightsaber para tirar a cabeça de quase todos os líderes do Sol Negro.

Eu não defendo o excesso de violência em Star Wars, até por não ser uma característica da franquia. Mas determinados momentos acabam pedindo essa particularidade, e TCW aproveitava os confrontos dramáticos para ir além do que Rebels foi em situações parecidas. Logo, o serviço de streaming desponta como uma alternativa notável em relação ao canal de TV, permitindo explorar públicos e narrativas diferentes.

Tendo isso em vista, decidi trazer hoje alguns conceitos de séries e filmes do universo Star Wars que podem ser criados para a plataforma da Disney. Obviamente esta postagem possui o intuito apenas de entreter, convidando você a fantasiar conosco. Mas quem sabe os nossos palpites e desejos não se tornem realidade?

As continuações de Han Solo: Uma História Star Wars

Han Solo: Uma História Star Wars

The Force Awakens, Rogue One e The Last Jedi dominaram as bilheterias, todos ultrapassando a notável marca de um bilhão de dólares. Entretanto, a maioria dos fãs que acompanham a saga já devem saber que o spin-off de Han Solo fracassou comercialmente pelo mundo. Nós aqui no Jedicenter discutimos um pouco a respeito do assunto, e ainda que a Lucasfilm tenha cometido erros com o longa-metragem, o saldo foi positivo.

O público que assistiu ao filme deve ter notado que o desfecho do enredo deixou inúmeras dúvidas, dando a entender que continuações do derivado estavam (ou estão) nos planos. Essa percepção ganha força com notícias deste ano, nas quais Emilia Clarke e Alden Ehrenreich confirmaram ter contrato para gravar mais longas de Star Wars.

Mesmo assim, diante dos números obtidos por Han Solo, é provável que o planejamento das produções cinematográficas esteja sendo revisto. E para mim a oportunidade perfeita surge justamente nesse ponto: aproveitar que o filme não foi tão bem recebido pela audiência no geral, e dar continuidade ao projeto no serviço de streaming. Isso abriria portas para spin-offs menos requisitados não serem descartados ou remanejados às mídias literárias.

A Rebelião em proporções menores

Battlefront: Companhia do Crepúsculo

Esta ideia foi uma contribuição dos fãs Miguel Monzillo e Angelica Talia Correia (Star Wars: Aliança Rebelde). Eles gostariam de uma série live-action em que grupos menores de rebeldes trabalhassem juntos, participando de missões especiais nos diversos planetas da galáxia.

Relembrando de certa forma o livro Battlefront: Companhia do Crepúsculo e um pouco do que vimos nos diálogos de Cassian em Rogue One, sobre pessoas comuns decidirem tomar partido e lutar contra o Império de Sidious. Personagens sem tanto destaque, mas que tornam possível o triunfo dos rebeldes populares (ex: Luke, Leia) nos momentos vitais.

Ou seja, diferente das batalhas centrais da trilogia clássica (Yavin, Hoth e Endor), a série proposta pelos dois abordaria os soldados da Aliança executando tarefas rotineiras e de extrema importância para a continuidade da Rebelião. Algo próximo também do início de Star Wars Rebels, quando a tripulação da Ghost atuava de modo isolado.

Os caçadores de recompensas

Star Wars 1313

Em mais uma colaboração, o editor da nossa fanpage, João Francisco, sonha em ver um filme concentrado nos caçadores de recompensas. Segundo ele, o longa não precisaria ter época particular na timeline de Star Wars, caracterizando-se por ser uma história clássica de foras da lei com habilidades especificas, os quais se juntam para aplicar um grande golpe de mestre. Permanecendo em suas palavras, o protagonista, inédito ou já conhecido dos fãs, seria diferente do habitual, podendo ser um alien ou até mesmo um droide.

Mas as produções relacionadas aos bounty hunters não parariam aí. A seguidora Jeni Guimarães anseia por séries e filmes focados no submundo de Coruscant, remetendo ao famoso game cancelado, Star Wars 1313. Se você não conhece o projeto, sugiro dar uma pesquisada. Resumidamente, 1313 estava nas mãos da LucasArts antes da Disney adquirir a Lucasfilm, e colocaria o jogador no papel de um caçador de recompensas nos níveis subterrâneos da antiga capital da República.

Adaptações dos quadrinhos

Queen Ktathatn

Mês passado, conclui o curioso arco A Cidadela dos Gritos na HQ mensal de Star Wars publicada pela Panini. Inicialmente, confesso que olhei para a narrativa com desconfiança, afinal esta envolve aspectos de terror e gêneros semelhantes. A última vez que tinha lido algo parecido dentro foi com o livro Troopers da Morte (Legends), que mistura zumbis, sangue e trechos enjoativos. Admito que a impressão que ficou não foi das melhores.

Contudo, o crossover de Luke e Aphra em The Screaming Citadel surpreendeu, e está na minha lista de arcos favoritos dos quadrinhos da Marvel. Os escritores souberam dessa vez trazer o horror sem perder muito a identidade de Star Wars, saindo da zona de conforto de outras edições. A coragem do grupo de histórias me agradou tanto, que despertou em mim a seguinte ideia: adaptar determinados arcos das HQs para mini-séries animadas, especialmente os mais inusitados.

E eu adoraria presenciar aventuras além das adaptações. Personagens que surgiram nos quadrinhos, como a Doutora Aphra, poderiam ganhar mini-séries próprias, as quais complementassem as HQs. Muitos fãs seriam introduzidos as comics, e quem já acompanha teria o prazer de assistir as páginas estáticas ganharem vida.

A casa dos Ewoks

Star Wars: Ewoks animated series

A segunda sugestão da fã Jeni Guimarães vai de encontro com o que mencionei na introdução do artigo: o serviço de streaming detém a capacidade de experimentar públicos distintos que gostam de Star Wars. Contrapondo-se a ideia dos caçadores de recompensas, esta apresenta uma série animada inspirada no desenho A Casa do Mickey Mouse, porém com os Ewoks no papel de protagonistas.

Na verdade, podemos dizer que se encaixaria como uma continuação de Star Wars: Ewoks, série encerrada em 1986. O futuro da saga sempre depende de novos fãs, e um desenho voltado para as crianças seria ótimo. A Disney, especialista no assunto, com certeza daria uma bela ajuda aos produtores da Lucasfilm.

Uma galáxia de possibilidades

Star Wars é um produto infinito. Temos incontáveis personagens, planetas, veículos, histórias… Poderia passar dias escrevendo esta postagem com outras ideias de filmes e séries. Enquanto eu bolava a publicação, Dave Filoni anunciou a inesperada sétima temporada de The Clone Wars, que chegará para o streaming da Disney ano que vem.

Essa foi apenas a demonstração inicial do que a Lucasfilm pretende fazer adiante. Agora, eu gostaria de ler os pitacos de você, leitor, acerca das novas produções que estão por vir.

Participe nos comentários ou em nossa página no Facebook!

Lucas Dirani

Fanático por Star Wars desde os 6 anos, teve o seu primeiro contato com a saga assistindo os filmes da trilogia clássica e jogando Super Star Wars de SNES. Atualmente escreve para o site Jedicenter e coleciona todos os materiais da franquia, desde livros/HQs até action figures.