contato@jedicenter.com.br

Contando as Guerras Clônicas #1

Olá de novo. Para quem já leu o artigo #0, pularemos a introdução. Tomarei a liberdade de durante o texto usar títulos primeiramente em inglês e apenas na primeira aparição colocar a tradução. Os episódios seguem uma marcação sXXeYY, onde sXX representa a temporada e eYY o episódio. Exemplo: s04e12 é o 12º episódio da 4ª temporada. O artigo original que serviu de base para este pode ser lido aqui.

Para saber como The Clone Wars se encaixa no UE previamente existente, vejamos o que acontece antes do primeiro episódio cronológico: Asajj Ventress emergiu como a assassina do Conde Dooku e já confrontou  Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker. O General Grievous lidera o Exército de Dróides da Confederação e batalhou com a República e os Jedi inúmeras vezes. Anakin já é um Cavaleiro Jedi e carrega cicatrizes das Guerras Clônicas em seu rosto. A 501st Clone Trooper Unit (501ª Unidade de Clone Troopers) sob o comando do Capitão Rex e marcada de azul, é designada para Anakin. Obi-Wan é membro do Conselho Jedi. Sua dedicada unidade de clones é a 212th Attack Battalion (212º Batalhão de Ataque) liderada pelo Comandante Cody. Como presente de Padmé, R2-D2 agora serve a Anakin enquanto C-3PO, agora pintado de dourado, serva a Senadora Padmé Amidala.

 

s02e16 “Cat and Mouse” (Gato e Rato)

Obi-Wan e Anakin devem furar um bloqueio separatista para entregar suprimentos em Christophsis. Eles encontram o Comandante Separatista Almirante Trench e conseguem mais do que queriam.

Curiosidades: Almirante Yularen é indicado para Anakin pela primeira vez neste episódio, marcando sua primeira aparição cronológica na série. O episódio menciona um encontro anterior de Yularen e Trench, mas esse nunca foi mostrado em outras fontes.

Opinião do M’Y: Já aviso que sou muito chato com muito do que foi produzido nas duas primeiras temporadas. O episódio em si, quando visto sozinho, é bom. Há toda uma tensão construída pelo fato de a nave ser desarmada e um protótipo, além da história prévia de Yularen e Trench, um suposto gênio estratégico. Ele pode não ser exatamente um gênio, mas é certamente mais inteligente do que 90% dos líderes separatistas que aparecem depois. Meus problemas com o episódio são alguns conceitos:

– A nave camuflada (Romulanos, Jornada nas Estrelas, oi!) que nunca mais aparece, mesmo mais de 20 anos depois durante a Trilogia Clássica;

– O que diabos estava fazendo o senador Organa preso em um planeta? Tudo bem, sabemos que Alderaan é pacifista e humanista, mas precisava ir ele? Não tinha ninguém que ele pudesse mandar no planeta inteiro? Se pensarmos cronologicamente, esta é a primeira aparição desse problema, que se repete várias vezes durante a série;

– E o principal: qual o motivo de voltar nesse arco na segunda temporada? Ele já era grande demais, ficou ainda maior (6 episódios, ver entrada do filme abaixo no artigo) e este episódio é totalmente desnecessário para o arco como um todo.

Nota do M’Y: 6.5 de 0 a 10.

 

s01e16 “Hidden Enemy” (Inimigo Escondido)

Obi-Wan e Anakin descobrem evidência de um traidor entre os seus enquanto tentam liderar as forças da República para liberar o planeta Christophsis de uma ocupação Separatista.

Curiosidades: Aqui Obi-Wan errôneamente chama Cody de Capitão, quando ele é um Comandante. Isso foi um erro de edição, já que originalmente no script Obi-Wan conversava com o Capitão Rex.

Opinião do M’Y: Aqui temos um tema que reapareceria depois algumas vezes: clones desertando, de diferentes maneiras. E começaram logo com um traindo os colegas enquanto Ventress tira os Jedi da base. Diferentemente do episódio anterior, esse aqui realmente é um prequel interessante para o filme e ao menos uma das duas histórias paralelas (quem é o traidor) você não sabe o que vai acontecer. Mas como todos os episódios das duas primeiras temporadas (da primeira principalmente) a ação não é realmente fluida e convincente, tanto por modelos computadorizados pouco expressivos quando por capacidade de processamento dos computadores e também habilidade dos animadores.

De qualquer jeito é válido notar que desde a primeira temporada havia uma preocupação de pontuar a dificuldade dos Jedi de agirem como guerreiros aos invés de defensores da paz. Neste episódio em especial fica claro o problema de o exército de clones serem basicamente escravos, sem opção de abandonar o serviço e ter uma vida própria.

Nota do M’Y: 6.5 de 0 a 10.

 “Star Wars: The Clone Wars” (o filme)

Eventos notáveis do filme que se aplicam à linha do tempo: Anakin se torna mestre de Ahsoka e consegue a nave Twilight (Crepúsculo) e Ziro, o Hutt, é preso por conspirar contra Jabba, o Hutt, e a República. Jabba tem um filho, Rotta.

Curiosidades: Este filme não foi escrito e/ou pensado como filme, são quatro episódios de um arco que são colados um atrás do outro. Três deles já estavam prontos e seus nomes eram “Caste of Deception” (Castelo da Desilusão), “Castle of Doom” (Castelo da Destruição) e “Castle of Salvation” (Castelo da Salvação). Depois da decisão de lançar em filme, escreveram o episódio “The New Padawan” (A Nova Padawan), que é o começo do filme.

Este filme conta com Christopher Lee e Samuel L. Jackson retornando para os papéis de Conde Dooku e Mace Windu, respectivamente. Durante a série as vozes de Dooku e Windu são de Corey Burton e Terrence Carson.

Hutts são hermafroditas, o que significa que eles tem os dois sexos no mesmo corpo. Apenas suas personalidades é que normalmente são de apenas um gênero, embora com exceções. Isso explica o filho de Jabba, mesmo sem uma “mãe” e a personalidade “afetada” de Ziro.

Opinião do M’Y: Isso aqui ser um filme mata. Mata os fãs, mata o não fã, mata até episódios que poderiam funcionar bem em seu formato normal de 22 minutos. GL fez um desserviço à série juntando quatro episódios e pensando que funcionaria como um filme. Não funciona. Ninguém parou pra reescrever a coisa e dar uma coerência cinemática, a ponto de dar pra ver claramente a passagem de um episódio para o outro. O primeiro episódio, por exemplo, acaba com as falas de Anakin sobre Ahsoka ser boa o suficiente pra ser aluna dele. O resto deixo pro leitor rever o filme e descobrir – se tiver paciência.

Falando na Padawan, aqui Ahsoka não é o que se espera de uma Padawan Jedi pelo que conhecemos tanto dos filmes quanto do universo expandido. Ela tem um nariz empinado enorme, não tem respeito, acredita que sabe mais do que seu mestre. E se alguém achou que Sky-guy e Snips (Sky-fora e Abusada na tradução brasileira oficial) seriam apelidos legais, errou feio. E isso (tanto a chatisse quanto os apelidos) duraria quase duas temporadas. Curiosamente a Ahsoka é provavelmente a personagem que mais evoluiu, a ponto de hoje, na quinta temporada, ela ser minha personagem favorita da série (descontando as personagens que são oriundas dos filmes). Os pontos de mudança da personagem acabaram surgindo só na terceira temporada, nos episódios Assassin (Assassina) e Heroes on Both Sides (Heróis nos Dois Lados).

Aqui, como acontece várias vezes na primeira temporada, cenas são resolvidas através de idiotice de Battle Droids. Claro, os Battle Droids sempre foram meio idiotas no universo “normal” de Star Wars, mas não no nível que acontece aqui! Enquanto são apenas piadas que não influenciam o rumo da história, você entende que é uma necessidade do tipo de mídia (é um desenho, cujo maior público certamente é de crianças ou pré-adolescentes). O problema é quando isso realmente decide cenas da batalha. Exemplo:

Um comandante Battle Droid manda os outros atirarem em um determinado setor, o dróide ao lado já responde perguntando qual era mesmo o setor, enquanto clones vão atirando e ganhando espaço. Eu queria saber como explicar algo eletrônico com problema de memória recente. Depois Rex e mais um clone são cercados por uns 20 a 30 dróides. Rex ganha tempo para Obi-Wan chegar e salvar o dia dizendo para os dróides que eles, clones, estão em maior número – e o dróide começa a contar pra ter certeza!

Mas quando do lançamento do filme o maior problema dos fãs em geral não foi nenhum desses. Foi o duelo entre Anakin e Dooku, pois a existência desse duelo (e vários outros que aparecem depois na série) modifica o significado do diálogo entre os dois em ROTS. Era a primeira indicação de que muita coisa iria ser ignorada pelo pessoal de criação da série.

Nota do M’Y: 3.5 de 0 a 10.

Fica a observação é que talvez fosse 5.0 ou 6.0 pra cada episódio separadamente, mas enquanto filme…



s03e01 “Clone Cadets” (Cadetes Clone)

Cinco clones cabeças-dura – Hevy, Cutup, Droidbait, Fives e Echo, o Domino Squad (Esquadrão Domino) – se esforçam para completar o treinamento deles no planeta oceano Kamino.

Curiosidades: Aqui temos a primeira aparição cronológica de vários clones que apareceram já na primeira temporada e que continuariam muito importantes durante a série. Quando prepara o teste final para os cadetes, o Comandante Colt diz para El-Les colocar o desafion na “versão THX, variável 1138”. Para quem não sabe, THX 1138 foi o primeiro filme comercial de George Lucas.

Aqui também é a primeira aparição de um modelo próprio para Shaak Ti, diferente do utilizado para ela ficar apenas sentada quieta no Conselho Jedi, que não precisa ser tão detalhado.

Dave Filoni explica no site oficial que o episódio original, Rookies, foi considerado tanto pelo staff da série, incluindo George Lucas, como pelos fãs como um dos melhores da temporada e depois de muito discutir resolveram voltar e contar como esses clones começaram. Diz também que houve muita dificuldade para animar, pq diferentemente do campo de batalha, em Kamino os clones não podem ter cortes de cabelo diferentes, nem tatuagens, nem marcação na armadura.

Os ARC Troopers, soldados de elite do exército republicano,  aqui já usam a armadura Phase II, utilizada por todos os clones no fim da guerra e em ROTS. Isso serve para dar uma sensação de evolução. ARCs utilizaram-na primeiro e depois ela foi aprovada para o restante do exército.

Esse episódio passou originalmente junto com o episódio ARC Troopers, que se passa já mais pra frente na linha do tempo e forma uma espécie de trilogia do Domino Squad: Clone Cadets, Rookies e ARC Troopers.

El-Les é um dos poucos de sua raça que não possui olhos amarelos, mas sim sua cor natural, azul. Os olhos de membros da raça Arcona se tornam amarelos quando eles são viciados em sal.

Opinião do M’Y:  Esse é um daqueles episódios de ficar de olho o tmepo todo. Certamente um dos melhores da série. Assim como em Hidden Enemy, vemos de novo a dificuldade dos Jedi, aqui centrados na Mestre Shaak Ti, em lidar com posições não inerentes à sua cultura. O diálogo entre a Jedi e o Primeiro Ministro de Kamino, Lama Su, é bem simbólico quanto a isso: A Jedi vê cada esquadrão, cada clone como indivíduos, seres vivos com características diferentes enquanto o Ministro simplesmente sugere que ela jogue-os fora, como dróides sem reparo.

Outro ponto interessante é a necessidade da contratação de caçadores de recompensa para fazer o treinamento enquanto os Jedi estão ocupados demais guerreando.  Bric e El-Les são completamente opostos nesse treinamento e é raro que exista algum caçador de recompensa como El-Les, que espelha bastante o pensamento de Shaak Ti, ficando inclusive mais surpreso e preocupado que ela com a trapaça do companheiro.

Podemos também ver como surgem os apelidos dos clones, geralmente espelhando traços de suas personalidades como Echo (eco) que repete cada ordem e Hevy (escrita estilizada de heavy – pesado, denso) que tem personalidade difícil e gosta de armas pesadas ou são simplesmente tiração de sarro com seus números, caso de Fives (Cincos) ou CT-27-5555.

Na parte visual, este episódio também é fantástico. A terceira temporada teve um grande salto de qualidade com relação às anteriores e assistir esse episódio logo após o filme deixa isso bem claro. Kamino é feito com uma perfeição incrível para uma série de TV. Há também uma preocupação em deixar claro que os tiros aqui não machucam, pelas cores diferentes e efeitos quando atingem os clones, que os dróides do episódio não são inimigos, além de toda a parte visual nova.

É claro que aqui eu estou comparando apenas episódios de The Clone Wars visualmente. Assista esse clipe aqui da animação do Lanterna Verde, que estreou em 2011 junto com a quarta temporada de Clone Wars e compare o acabamento dos personagens, comparar Oa com Curoscant (dois planetas com nível similar de tecnologia), os Guardiões do Universo (os pequenos pseudo-Yodas azuis) com Yoda, ou a nave (cujo computador chama Aya) com qualquer nave de The Clone Wars.

Nota do M’Y: 9.0 de 0 a 10.

 

s03e03 “Supply Lines” (Linhas de suprimentos)

Ryloth está ocupado. Preso na superfície, o Mestre Jedi Di organiza as forças locais com a ajuda do líder rebelde Cham Syndulla.

Curiosidades: Este episódio marca a primeira aparição cronológica do Rei Katuunko, líder dos Toydarians, cujo membro mais conhecido é o vendedor de peças Watto, peça chave na descoberta de Anakin Skywalker.

O nome do Mestre Jedi Di já indica o seu futuro. Sua pronúncia é a mesma do verbo inglês die, morrer em português.

Opinião do M’Y: Aqui são praticamente dois episódios separados, embora as história se conectem e sirvam de prequel para Ambush (Emboscada, s01e01) como para a trilogia de Ryloth (s01e19 até s01e21): o Senador Organa e Representante Binks tendo que enfrentar Lott Dod e convencer o Rei Katuunko a permitir uma missão humanitária enquanto há uma batalha extremamente tensa acontecendo com Mestre Di, seus clones e Twi’leks, incluindo o rebelde Cham Syndulla.

Vemos aqui uma escrita que raramente se vê em outras séries e mesmo dentro de The Clone Wars, com um tema que seria normalmente feito em séries dramáticas: Di e seus homens dando suas vidas em uma missão suicida para salvar os rebeldes de Ryloth, em uma cena memorável.

Pra variar o que acaba dando aquela estragada é a parte da “arte conceitual” do Jar Jar. Cai no mesmo problema das piadas dos Battle Droids: é difícil de levar a sério, então eu simplesmente assumo que oficialmente o Jar Jar deu um jeito de desviar a atenção de Lott Dod diferente daquele apresentado nesse episódio. Por sorte, foi coisa de um minuto e não afetou muito a nota do episódio.

Nota do M’Y: 8.0 de 0 a 10.

Então a linha do tempo até agora é:

  • Star Wars: Episode I – The Phantom Menace
  • Star Wars: Episode II – Attack of the Clones
  • s02e16 – Cat and Mouse
  • s01e16 – Hidden Enemy
  • Star Wars: The Clone Wars
  • s03e01 – Clone Cadets
  • s03e03 – Supply Lines

Até o próximo artigo!

/p

Mestre Yoda

Mestre Yoda na verdade se chama Jair e é um engenheiro nerd que se pudesse ganharia dinheiro com Star Wars. Como não pode, fica enfiado nos detalhes do Universo Expandido e das obras para telinha da saga o máximo que pode. Só vê uma possibilidade de Star Wars ser melhor do que é: The Beatles como trilha sonora!